logo hth produtos para piscina

Saltos Ornamentais conheça um pouco mais sobre essa modalidade olímpica

Saltos Ornamentais: um pouco mais sobre essa modalidade olímpica

Os Jogos Olímpicos no Japão começam no mês de julho e já tem muita gente pensando no tratamento de piscina doméstica para poder ensaiar alguns saltos ornamentais em homenagem ao esporte.

Os saltos ornamentais são, decerto, um dos desportos mais amados das olimpíadas e um dos que mais atraem público – dentro e fora do centro de competições.

Por isso, a hth® dedica este post à modalidade olímpica, explicando curiosidade, regras e muito mais. Confira!

O que é o salto ornamental?

Salto Ornamental é um esporte que pode ser praticado individualmente ou em duplas, e consiste em saltar de uma plataforma elevada. Normalmente, existem dois tipos de plataformas usadas na competição: a fixa e a flexível, conhecida como trampolim. A plataforma mais baixa (trampolim) tem 1 metro de altura; já a mais alta pode chegar a 10 metros de altura. 

Do momento do salto na plataforma até a chagada na água, o atleta realiza vários movimentos acrobáticos e estéticos. Então, de acordo com o grau de dificuldade do salto e com o nível de perfeição que é executado, o atleta recebe pontuações mais altas ou mais baixas. 

História do esporte aquático

A origem do desporto foi na Grécia Antiga, onde os moradores do litoral mergulhavam de rochedos para o fundo do mar. Depois disso, os saltos ornamentais se desenvolveram a partir da ginástica, começando na Suécia e na Alemanha no século 18. Já no século 19, a modalidade esportiva se tornou mais popular, sendo praticada principalmente por ginastas. 

Em 1904, o salto ornamental foi incluído nos Jogos Olímpicos de St Louis, mas apenas os atletas masculinos participaram. Mas, em  1912, nos Jogos de Estocolmo, as mulheres também marcaram presença nas plataformas, saltando como atletas muito preparadas nas piscinas olímpicas. 

A primeira participação do Brasil nos saltos ornamentais ocorreu  nos Jogos da Antuérpia, na Bélgica, em 1920. 

Regras da competição

As regras usadas para julgar e pontuar as competições oficiais de salto olímpico são ditadas pela FINA, o órgão internacional para esportes aquáticos que supervisiona esse desporto. 

Confira as regras mais importantes que orientam os atletas olímpicos na competição!

Salto individual no Trampolim

  • Todo salto de trampolim nos Jogos Olímpicos é contestado por um trampolim de 3 metros;
  • Os homens devem completar seis saltos;
  • As mulheres devem completar cinco saltos;
  • Não há limite para o grau total de dificuldade para esses saltos;
  • Pelo menos um mergulho durante a competição deve vir de cada uma das seis categorias diferentes: para frente, de costas, revirado, ponta pé a lua, parafuso e equilíbrio;
  • Os homens podem repetir uma das categorias para o sexto salto; já as mulheres, não;
  • Nenhum salto pode ser repetido em uma lista de saltos;
  • O sexto mergulho opcional para os homens pode ser escolhido em qualquer uma das categorias.

Salto da plataforma

  • Os homens devem completar seis saltos;
  • As mulheres devem completar cinco saltos;
  • Não há limite para o grau total de dificuldade para esses saltos;
  • Para os homens, pelo menos um mergulho durante a competição deve vir de cada uma das seis categorias diferentes: para frente, de costas, revirado, ponta pé a lua, parafuso e equilíbrio;
  • Nenhuma categoria pode ser repetida em uma lista de saltos;
  • Todos os mergulhos devem ser realizados a partir da plataforma de 10 metros.

Pontuação dos atletas

Cada um dos 7 juizos da competição dará notas de 0 a 10 pontos por salto de cada saltador. As notas seguem os critérios:

  • 10: Excelente
  • 8 1/2 a 9 1/2: Muito bom
  • 7 a 8: Bom
  • 5 a 6 1/2: Satisfatório
  • 2 1/2 a 4 1/2: Deficiente
  • 1/2 a 2: Insatisfatório
  • 0: Falha Completa

As notas são dadas de acordo com a avaliação do juiz, que leva em conta alguns aspectos como a posição inicial do atleta, a decolagem, o voo e a entrada na água. 

Há regras específicas para a piscina usada nos saltos ornamentais?

As piscinas usadas nesse tipo de esporte são as mesmas aproveitadas na natação e em outros esportes aquáticos. Assim, esses recintos normalmente têm 50 metros de comprimento e 25 metros de largura e 2 metros de profundidade, com volume mínimo de 2.500 m3.

Além disso, a temperatura da água deve estar entre 25°C a 28°C. Do mesmo modo, é essencial que a água esteja limpa, tratada e protegida, para evitar a contaminação por germes e bactérias.

Vale lembrar que as piscinas de competição recebem um fluxo grande de pessoas, o que pode tornar a água turva. Nesse caso, é essencial efetuar a avaliação dos parâmetros da água – pH, alcalinidade, cloro livre e ácido cianúrico. 

Essa avaliação também é recomendada para as piscinas domésticas e pode ser feita com a hth® Fita Teste.

Ademais, é preciso aplicar um produto específico para remover a turbidez da água: o hth® Clarifica Maxfloc e o hth® Solução Água Turva são as melhores indicações para isso. Por fim, a água é purificada com o hth® Cloro Aditivado Mineral Brilliance 10em1™ ou o hth® Cloro Concentrado Tradicional.

Utilize esses produtos se você deseja manter a piscina de sua casa sanitizada, cristalina e livre de germes. Assim, esse espaço de lazer também poderá ser palco de divertidos saltos em família! 

Conte com a hth®!