erros-que-voce-nao-deve-cometer-ao-limpar-uma-piscina

4 erros que você não deve cometer ao limpar uma piscina

Água cristalina na piscina é especialmente convidativa em um lindo dia de sol, mas se, ao contrário, existirem algas nas bordas e larvas de mosquitos por toda parte, o que poderia ser um cenário espetacular ganha um aspecto nojento. Portanto, realizar manutenções periódicas é fundamental para garantir que riscos visíveis, ou até mesmo invisíveis, não comprometam a saúde de toda a família.

Por isso, neste post, vamos aprender como evitar 4 erros ao limpar uma piscina.

1. Misturar produtos químicos diferentes

Produtos químicos, para qualquer finalidade, nunca devem ser misturados. Em se tratando de cloro para piscina, temos algumas recomendações para serem seguidas. Nunca misturar hipoclorito de cálcio com dicloro ou tricloro. São produtos incompatíveis e podem causar reações químicas; Cuidado para não permitir respingos de água dentro do balde de cloro no momento de manusear os produtos; Não utilize o dosador de cloro, que vai dentro do balde, para manusear outros produtos;
Evite armazenar produtos diferentes muito próximos. Ex.: Frascos de líquidos sobre baldes de cloro, tintas e produtos de limpeza próximos a produtos de piscina.

2. Ignorar os valores da alcalinidade e do ácido cianúrico

A alcalinidade deve estar entre 80 e 120 ppm, o que garante um equilíbrio que auxilia na manutenção do pH, assim como na eficiência do cloro livre. A alcalinidade nos números referidos proporciona águas mais suaves para os cabelos e para a pele.

Já o ácido cianúrico (substância presente no cloro estabilizado ou nas pastilhas) sempre deve estar abaixo de 50 ppm. Caso ele fique acima desse número, também poderá prejudicar a atuação do cloro livre. Uma dica é utilizar a fita teste para piscina para realizar essas medições.

3. Não higienizar as bordas da piscina

Além de retirar folhas e outros materiais presentes na água, limpar as bordas da piscina com esponjas de espuma macia e detergente biodegradável próprio para este fim mantém a qualidade das águas em níveis sadios.

Escovar as paredes do fundo com frequência também ajuda a eliminar problemas de calcificação no revestimento. Caso a piscina não esteja sendo regularmente utilizada, vale a pena cobri-la com lona, a fim de preservá-la despoluída.

4. Não realizar a manutenção das motobombas e dos filtros

A motobomba é um equipamento imprescindível, que faz a água circular na piscina, além de ser responsável por impelir a água à passar pela areia do filtro para a devida retenção de impurezas. 50% do tratamento da água depende da motobomba e do filtro, por isso, fique atento.

Se os ruídos da motobomba estiverem fora dos padrões habituais, ou ainda se esse equipamento apresentar pouca força de sucção, chame o técnico. O material filtrante desse item de filtragem também precisa receber atenção. Vale observar se os líquidos que saem na retrolavagem estão sujos, indicando assim, que o equipamento está funcionando como deveria.

Como pudemos perceber, a manutenção correta da piscina é vital para proteger a nossa saúde e a de quem amamos. E essa manutenção deve acontecer durante o ano inteiro, pois sabemos que, quanto mais tempo a piscina estiver sem tratamento, mais vai demorar que as condições das águas estejam adequadas para o banho.

Gostou deste post que aborda os principais erros ao limpar a piscina? Então, curta nossa página no Facebook para não perder nossas novidades.